terça-feira, 28 de outubro de 2014

Carta de um Cego

Pablo Picasso

Nunca pude ver as flores
Desabrochar nos campos
Nunca pude ver as cores
Nas pinturas manchar o branco

Nunca pude ver as estrelas
Iluminar minha vista escura
Nunca pude ver o sol
Rente as nuvens co' muita alvura

Nunca pude ver os pássaros
Apenas ouvir o canto
Chorar por isto sempre pude
Mas nunca, ver a cor do pranto

Nenhum comentário:

Postar um comentário