sábado, 5 de julho de 2014

Depoimento ao Senhor




















Lâmina de prata
Sangue, senhor, sangue
O garoto com a sua gangue
Meteu na virgem a sua faca

Ela uivava, senhor, uivava
Sua carne havia ficado roxa
Das pancadas em sua coxa
E seu seio descoberto estava

Assisti a tudo senhor
Um verdadeiro show de horror
O som era disperso

Senhor, ele enlouqueceu.
Um grito soltou e gemeu
Matou a moça, senhor, o garoto perverso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário