domingo, 27 de julho de 2014

Caminho do Óbito II


Pálida esperança rejuvenesceu
Tal como os girassóis nos bosques
Minh'alma pela casta se perdeu
Da flor de seu amor virei um escroque

Nos seus lindos suspiros sob meu túmulo
Não verei cristalizar-se o sonho dela
Verei um choro agudo,triste e fino
Verei os seus olhos lindos quão a lua bela

Magnífico luar diante a tumba
Em que jaz em meu corpo no necrotério
Os animais a roer minhas frias carnes
Sentem na minha pele o meu tédio

Ao fim do luar, na noite serena
Partirei p'ra eterna solidão
Esperarei-a para sempre lá no céu
Ou talvez seja abaixo do chão


Nenhum comentário:

Postar um comentário