domingo, 4 de maio de 2014

Madrugada

 














 Já é madrugada
 Já é tédio
 Já é frio
 E não tem flor

 Lá vem as aves cantar
 E minha noite se acabar
 Me afogarei na desesperança
 Que é forte como uma lança

 E lá vem a noite sombria
 Que acaba com a maresia
 Da tarde de quinta-feira
 A sombra de uma palmeira

 Ao ressoar do sabiá
 A tarde não tarda a acabar
 P'ra noite vir a chegar
 E em horas desabrochar

 É madrugada de domingo
 Acabou a primavera
 Começa a poesia que é bela
 E o frio não tarda a voltar

Nenhum comentário:

Postar um comentário