quarta-feira, 23 de abril de 2014

Sentimento Ilusório



















E da poesia do poeta nascem flores
 Faz da aflição seus versos toda'as noites
 E as mágoas que somam-se indolores
 O verso espanca como açoites

 E do riso que não houve faz-se o pranto
 E da margem dos rios nasce a pura
 Em poéticas saudades, um desencanto
 "Beijarei a verdade santa e nua"

 Desatina meu coração que é tão errante
 De sonhos tantos vou me esvaecer
 E em suspiros de amor inebriante
 Faz a ilusão do amor em mim crescer

 Já sou mouco de sonhos e esperanças
 Anafado de amor neste momento
 E o coração que é triste toma uma lança
 Da verdade que tornou-me ao desalento

Nenhum comentário:

Postar um comentário