sexta-feira, 25 de abril de 2014

Marinheiro Só

 



















Daqui não sou 
 Daqui não tenho amor
 E por uma nau eu vou
 Em busca do condor

 Sou marinheiro
 Marinheiro só
 E por isso bebo
 E faço este rondó

 Navego pelos mares
 Contemplo as ondas furarem
 A madeira do navio
 É tanta água na madeira quanto fogo no pavio

 Vou seguindo minha viagem
 Sem lugar onde chegar
 E pra não ficar sozinho
 Contemplo Iemanjá

 E vou seguindo sem amor
 Neste mar de maravilha
 Bebendo vinho num cálice
 Pretendo chegar numa ilha

 Admiro o manto azulado do céu
 Remo contra a maré buscando amor
 Se o oceano é meu hino
 Meu Deus será o condor

 E nesta viagem eu sigo
 Vagando tão tristemente
 Marinheiro só na bagagem
 Leva a vida que teve ardente

Nenhum comentário:

Postar um comentário