sábado, 5 de abril de 2014

Eu sou o Amor

 



















Nos frios e calores aos quais vivi
 Aos cantos e prantos, esplêndido nasci
 Orgulho e arrogância nestes tempos eu vi
 Executem meu canto guerreiros, nasci

 Nos vales, nas ruas, em qualquer lugar
 Em becos e vielas há gente a se amar 
 Por mim, muitos tiveram a guerrear
 Mas desde a Guerra de Troia não foram tantos a me disputar

 Meu luto não está por vir
 Há pessoas para me acalentar
 Por isso, apresento-me assim
 Eu sou o Amor, sou como um mar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário