quarta-feira, 23 de abril de 2014

Donzela Flor


                                                               
















Vivi, amei, bebi, tal como tu; morri
                                      Lord Byron                    

 Ó pura pela qual vivo de amores
 Vivo por ti nas primaveras, no desabrochar das flores
 E um desejo incandescente em noites me ilumina
 As artérias por ti me pulsam o peito, esta é minha sina

 E bebo e fico ébrio de teu amor dourado
 Ignoras-me, tenhas pena de mim sou um coitado
 És linda e bela, és minha flor da aurora
 Mal sabes que meu coração aberto o peito por ti chora

 Tenho fé em um amor por ti'inda indolor
 Teu suspiro desabrocha, qual a mimosa flor
 Hei de desejar-lhe tanto a face linda
 Se mil gotas de amor inundaram-me o peito, com sonho ainda

 Meu amor por ti és a flor do pessimismo
 Mas é em tua face que meus lábios pedem abrigo
 Desejo ter teu lábio palpitante todo dia
 Para curar-me da tristeza do amor e da monotonia

Nenhum comentário:

Postar um comentário