sexta-feira, 25 de abril de 2014

Boêmia na Taverna























(Numa taverna)

Taverneira: bebe águ'ardente moço, cura-te a tristeza.

Homem: que sabes tu de bebida? Almejas a avareza.

Taverneira: tomai-lhe uma dose leproso.

Homem: uma gota de bebida amarga desta? Jamais, não sou um doudo.

Taverneira: desce pela goela ora

Homem: tu quer tirar-me os réis, ponha-me ceia e vinho ind'agora

(Traz ceia e vinho para o homem)

Taverneira: bebe deste vinho que é Cognac e desfrute do pão que a ti pertence

Homem:  e queres deixar-me ébrio? Traga-me absinto e tu me vence

Taverneira: ingrato! (traz o absinto)

Homem: ó absinto viver da vida, isto é perfeição p'ra um mulato

Nenhum comentário:

Postar um comentário