quarta-feira, 9 de abril de 2014

Anseio Saudosista

 





















Acordo nas manhãs sem o seio seu
 Desejo o busto esbelto e belo teu
 Para acalentar meu instinto tão errante
 Desejo teu corpo p'ra meu coração pulsar cessante

 Do doce mais amargo provei
 As dores de um açoite
 Tua boca carnuda beijei
 Desejando teu corpo a noite

 Agora com a solidão no peito meu
 Um triste e longínquo olhar se definha
 P'ra meu pranto não há apogeu
 És inundada de lágrimas a face minha

 Ó minha amada tão primorosa
 Desejo ver-te novamente e tocar teu lábio rosa
 Não há pecado no amor de um homem
 Em virtudes, meu coração e minh'alma por ti somem

Nenhum comentário:

Postar um comentário