terça-feira, 29 de abril de 2014

Amada Bela

                                                                             






















                                                           Longe das tumbas alto erguidas,
                                                           Rumo a cemitério isolado
                                                           Meu coração, tambor velado,
                                                           Dá em marcha fúnebre as batidas
                                                                           Charles Baudelaire

 E a chama de meu amor por ti é ardente
 Mas sou frio no tédio da madrugada noturna
 E a faísca da chama em cada toque tu sente
 Vivo ébrio, e tu taciturna

 E meu rubro coração a vagar de amor pelos ares
 Por você minh'amada ele é cerúleo
 Amei-te na noite, bebi pelos bares
 Procurei teu amor espinhoso como acúleo

 Você minha donzela onde está agora?
 Voltes aqui e acude meu perdão
 Nesta noite, meu coração por ti chora
 Venha ouvir, cantarei-lhe uma canção

 Donzela querida, tenha pena de mim
 Por favor minh'aura não fujas assim
 Entenda moça bela sou louco por ti
 És minha flor da mocidade, não me deixes aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário