terça-feira, 4 de março de 2014

Grená




















Ao leito de minha amada
há um sangue grená
 Não este sangue
um qualquer

 Este é um sangue grená
 Grená o sangue que deixou-me
é por este  que tenho o amor
 É por este que tenho a dor

 Em meu peito,
multidões de sensações
 Horrendas a dançar
em minha mente tão sã

 De tanto chorar,
as lágrimas não mais descem
 O corpo dela partiu
e minha alma foi junto

Nenhum comentário:

Postar um comentário